Já estamos no Brasil há quase 2 semanas mas nossas mentes continuam em Zahlé…impressionante o impacto que isso teve em nossas vidas! Sonhamos com palavras em árabe, olhares das crianças, atendimentos, triagem de doentes e por aí vai…pode acreditar, quase todos nós ainda sonhamos com isso e sentimos falta da nossa rotina na missão.

thumb_QUI_2841_1024

Bom, para não perder a “embocadura” do blog, a partir de agora vou postar alguns testemunhais e hoje começo com a minha esposa Hellen Quintela…claro que tenho que começar com ela…afinal, não poderia ser diferente!

Senhoras e senhores, com vocês, Dra Hellen:

“Essa missão começou em meu coração bem antes do embarque. Ao ouvir falar dela, minha primeira resposta foi: ‘Sim, claro!’. Depois, comecei a pensar. Guerra? Riscos? Bombas? Tenho filhos, como ir e me arriscar a não voltar? Não posso ir.

Fugia do Marcos Amado, que estava em busca de profissionais de saúde, mas minha cabeça não parava de pensar nisso. Muitas vezes, chorei porque o desejo era enorme, mas me parecia insano ir.

thumb_QUI_2914_1024

Dias e dias se passaram e fomos ao Encontro de Carnaval da CBMoema. Lá, conversei com a Dani e o Roque Toledo, um casal de médicos de nossa comunidade. Ambos lutavam com as mesmas questões: ir envolvia riscos e dinheiro. Não apenas despesas com vôo e hospedagem, mas também não ganhar durante o período em que estaríamos lá, já que temos profissões autônomas.

Voltamos do encontro e, no dia seguinte, toca o telefone. Era o Roque: ‘Amiga, nós vamos. Se a gente esperar tudo estar 100% certo, ninguém nunca vai’. Chorei de novo porque achei que tudo estava resolvido, mas não.

thumb_QUI_2717_1024

Chega o dia de dar a resposta final. Ligo para o Marcos Amado e peço que aguarde até a noite, quando estaria em casa reunida com um grupo de amigos. Passei o dia chorando e falando com todos que podia, pedindo que orassem por mim. Ouvi um dentista contar que havia sido convidado uma vez para uma viagem semelhante, mas não foi e ficou incomodado ao saber que pessoas choravam de dor de dente noites afora.

À noite, com nossa turma em casa, Cris tocou uma música cujo refrão diz: ‘Segura na mão de Deus e vai’. Chorei igual criança, certa de que Deus estava me respondendo tão claramente como eu havia pedido! Decidi ir. De forma inexplicável, o medo se acabou.

thumb_QUI_2867_1024

Para minha surpresa, a necessidade de tradutores e de alguém que cuidasse da farmácia, além de ele poder cuidar do blog da viagem e captar imagens, fez o Luciano, meu marido, se dispor a ir também. Milagrosamente, sem ter ainda um ano no trabalho para poder solicitar férias, a chefe dele abre exceção e o libera.

thumb_QUI_2941_1024

Começamos os preparativos, as reuniões e, conhecendo o grupo, tudo foi ficando cada vez melhor. Tudo transcorreu perfeitamente na ida. Eu, que me pelo de medo de avião, até dormi. Aprendi a ter medo de carro, isso sim. Se corremos algum risco, foi no trânsito do Líbano!

Na odontologia, tive o prazer de dividir o ofício com outros dois dentistas: a Joelma Woolley, que virou minha mana, e o Jorge Sazaki, nosso guerreiro de 74 anos, grande exemplo pra muitos jovens molengas. Nunca havíamos trabalhado juntos. O Jorge, eu sequer conhecia. Quando chegamos lá, o entrosamento foi total. Deus preparou tudo, até o fato de termos apenas dois equipamentos e três ‘cadeiras’ para três dentistas.

thumb_QUI_2721_1024

Sem combinação prévia alguma, a Joelma ficou em um equipamento à minha direita; o Jorge, em outro, à minha esquerda; eu, no meio, sem equipamento algum. Melhor coisa não podia ter acontecido! Minha formação é voltada para cirurgia, então fiquei encarregada das extrações necessárias, que não demandam o ‘motorzinho’. A Joema atendeu as crianças e o Jorge, os adultos, ambos fazendo restaurações. Eu atendia adultos e crianças apenas extraindo dentes sem condições de restauração, destruídos, com abscessos, que geravam muita dor aos pacientes. Se encontrava algum dente para salvar, encaminhava a meus colegas.

thumb_QUI_2570_1024

A posição também foi estratégica pois ambos não falavam inglês, então, ao mesmo tempo que eu operava, socorria-os traduzindo do português para o inglês, para que a tradutora transmitisse ao paciente em árabe e, tendo a resposta, me reportasse em inglês para que eu devolvesse em português para os colegas. Ufa!

 

Em meio a tudo isso, perguntam: ‘Vocês estão evangelizando essas pessoas?’. Pregamos com nossa própria vida demonstrando amor ao próximo. Um adolescente muçulmano olhou para mim, depois de perder alguns dentes pelas minhas mãos, e disse: ‘Love you, doctora!’. Missão cumprida!

wp-1495399777942.

Agradeço a Deus pelo privilégio de participar.

Obrigada, filhos, porque, apesar de expressarem o medo de a gente não voltar, entenderam a necessidade da nossa ida sem choros nem pedidos pra que não fôssemos.

Aos meus pais, obrigado por nos substituírem durante este período de forma tão especial.

Amigos que levaram nossas filhos para passear, saibam que foi dessa forma que também participaram da missão.

Agradeço pelas orações e apoio de cada um.”

14 comentários sobre “Testemunhal

  1. Hellen você é uma pessoa maravilhosa.
    Fez diferença no nosso grupo é obviamente essa viagem nunca teria sido a mesma se você não estivesse lá conosco.
    E verdade que às vezes é meio nervosinha……porem isso é uma característica das mulheres decididas e bem resolvidas.
    Kkkkkkkk
    O Guerreiro que de vire…..afinal….nada que ele não mereça , certamente.
    Bjs
    Do seu amigo de missão.
    Rockssss

    Curtido por 1 pessoa

  2. Parabéns, Hellen, Joelma e Jorge. O trabalho e testemunho de vocês foram incríveis, sendo um exemplo de amor, afinco e entrega inclusive para nós da equipe. Que o Senhor continue usando vocês grandemente. Marcos Amado

    Curtido por 1 pessoa

  3. Hellen e toda equipe parabéns pela linda missão que vocês conduziram.
    Excelente o depoimento de como foram sendo conduzidas as ações.
    Que Deus proteja muito todos vocês e suas famílias.
    beijos
    cristiane

    Curtido por 1 pessoa

  4. Parabéns Helen! Lindo exemplo! O mundo precisa de mais pessoas como vocês! certamente , mais missões virão por aí, pois vocês demonstraram o verdadeiro amor ao próximo, um amor altruísta! Que Deus os abençoe muito!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Não tem como não ficar emocionado lendo este depoimento, ‘Doctora’ Hellen. Vocês são pessoas de Luz. Que os seus caminhos sejam abençoados. Sucesso para o resto das suas vidas!!

    Curtido por 1 pessoa

  6. Boa noite !
    Estou afastado da vtde de Deus, mas esse testemunho encheu meu coração de alegria e os meus olhos de lágrimas ( recordei-me de qdo levava a palavra de Deus a mendigos, prostitutas e viciados madrugada à dentro ). God bless you doctor Hellen. Sl 126:1,6

    Curtido por 1 pessoa

    • Gilmário, se vc se diz longe do centro da vontade de Deus, é porque vc bem sabe qual ela é! Então, corra, rapidinho, para os braços do Pai! Estarei orando por vc! Fique com Deus!

      Curtido por 1 pessoa

      • Boa noite !
        Amém, agradeço sua atenção e carinho. Que o nosso Deus é Pai continue te encorajando a ir mais além. Deus abençoe !

        Curtir

  7. Meu coração se enche de alegria por ver que os chamados responderam sim. É maravilhoso estar na “linha de frente” demonstrando amor àqueles que estão carentes de saúde mas principalmente do amor de Deus que pôde ser mostrado através das mãos da equipe que atendeu ao “Ide por todo o mundo”.
    Louvo a Deus pela vida de vocês. Louvo a Deus pela vida da Hellen e do Luciano, meu genro/filho. Deus os abençoe e os capacite a, cada dia ,dizer SIM.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s